Caixa de busca

Últimas matérias

Mãe de trigêmeos - Entrevista com Adriana Damasceno

s 16:07

Hoje, a entrevista é com a super mamãe Adriana Damasceno, 42 anos, mãe dos trigêmeos Vitor, Alice e Júlia, 4 anos, que após fazer fertilização e implantar 3 embriões, já pensava na possibilidade de estar grávida de mais de um bebê. Sua maior dificuldade foi quanto ao pouquíssimo tempo que tinha para descansar e dormir. Seu maior receio era de como daria conta de cuidar de três bebês, mas com o dia a dia aprendeu que ter rotina é fundamental para dar conta de tudo. 

Vamos conferir?


Nome: Adriana Damasceno
Idade que engravidou: 38 anos
Nome dos gemelares: Vitor, Alice e Júlia
Data de nascimento dos gemelares: 29/05/2012 
Normal ou cesariana: cesariana
Univitelinos ou bivitelinos: Bivitelinos
Peso e tamanho dos bebês: Vitor - 2,035 kg e 38 cm | Alice - 2,350 kg e 36 cm | Júlia - 1,750 kg e 34 cm.

1. Com quantas semanas você descobriu que eram trigêmeos? Você já tinha se imaginado nessa situação? Era um sonho?
Foi bem no início, acredito que com três semanas já fiquei sabendo que eram trigêmeos. Como fiz tratamento para engravidar, sempre ficava pensando que podia vir mais de um bebê. A médica sempre me dizia que isso seria muito difícil, devido a minha idade e também por causa do tratamento de fertilização. Aí, quando fiz a fertilização e implantei três embriões, sempre pensava nessa possibilidade para não me assustar com a notícia. E deu certo, graças à Deus! Depois de 15 dias da fertilização, fiz o exame para confirmar a gravidez e meu Beta HCG deu um resultado altíssimo! Fiquei apreensiva e liguei para a médica que logo veio me avisando que pelo resultado deveria ser mais de 1 bebê. Ficamos super felizes com a notícia e logo no primeiro ultrassom já dava pra ver que eram trigêmeos.

2. Qual foi a reação do papai?
A reação foi de muita alegria! Como eu, meu marido também tinha muita vontade de ter um filho!  de repente ser abençoado com três de uma só vez, foi muita alegria! Mas, passado a euforia da notícia, veio a preocupação de como seria essa gravidez e suas possíveis complicações.

3. O que não saía da sua cabeça durante a gestação?
Bem, acredito que toda gestante pensa como será  a vida com o bebê, se será perfeito e se daremos conta de cuidar dessa vida que dependerá integralmente de nós. Eu tinha todas essas preocupações e mais algumas. Ficava muito apreensiva com a possibilidade deles nascerem prematuros. Isso foi o que mais me preocupou durante toda a gravidez. Eu sabia que eles seriam prematuros, mas queria poder levar a gestação ao máximo, para que o período de UTI fosse sem grandes traumas para todos nós.


4.  Teve algum cuidado especial na gestação?
Tive, sim! Por recomendações médicas fiquei de repouso toda a gravidez e cuidei muito da minha alimentação. O repouso foi essencial para que eles e eu pudéssemos levar a gravidez até a 36ª semana e 5 dias! Como me movimentada pouco, o cuidado com a alimentação foi muito importante para que o meu peso não se alterasse demais. Deu tudo certo! Não foi fácil ficar deitada por esse tempo todo, mas valeu a pena e faria tudo novamente. 

5. Tinha algum receio em relação à rotina com três bebês?
Claro! Meu maior receio seria de como eu daria conta de cuidar de três bebês. Me tornaria mãe de primeira viagem de três bebês! Um loucura! Para amenizar, procurei me informar bastante sobre o tema. Foi aí que descobri o portal Gemelares que sem dúvidas foi fundamental para que eu pudesse me orientar e trocar muitas experiências com outras mães.

6. Você amamentou? Como funcionou essa dinâmica com três bebês? O complemento foi necessário desde quando?
Não tive muito leite, infelizmente. Fiquei no hospital por 10 dias e, mesmo tendo a equipe do lactário para me dar todo o apoio necessário para a amamentação, meu leite era muito pouco para manter a exclusividade do leite materno. Por isso, desde os primeiros dias, tive que entrar com complemento, com a autorização da pediatra. Assim que tivemos a alta do hospital, fui orientada a amamentar os bebês de 3 em 3 horas. Como eles nasceram com baixo peso, nos primeiros meses, eu tinha que seguir esse horário para que eles ganhassem peso. Fui muito cuidadosa com essa orientação e segui à risca, pois morria de medo de ter que voltar com o trio para o hospital. Para meu controle e orientação, fiz uma tabela onde eu anotava todos os horários de mamadas e a quantidade que cada um mamou. Deixava essa tabela à vista, colada na porta do quarto dos bebês. 

7. Como é cuidar de trigêmeos recém-nascidos? Qual foi a sua maior dificuldade?
Não e fácil. a rotina é muito pesada. Os horários, os banhos, as fraldas, o aconchego é tudo muito intenso! Mas muito prazeroso também! Como é bom ver o desenvolvimento de cada um! Minha maior dificuldade foi quanto ao pouquíssimo tempo que eu tinha para descansar e dormir. Com o tempo, fui conseguindo fazer com que eles dormissem e acordassem mais ou menos na mesma hora, o que facilitou muito o meu descanso.


8. Na hora de cuidar, o que mais te dá prazer? E o que te dá mais trabalho?
Quando eles estavam recém-nascidos, meu maior prazer era vê-los interagir com o mundo a sua volta, descobrir seu próprio corpo, superar seus limites. Enfim, acompanhar o desenvolvimento de três bebês e observar o tempo de cada um, é maravilhoso! Quanto ao que me deu mais trabalho, foi implementar a rotina  de dormir. Não foi fácil fazer os três dormirem a noite toda! Mas com persistência, rotina e carinho tudo deu certo!

9. Como funciona a rotina deles?
Até hoje eu mantenho uma rotina bem definida aqui em casa. Com as atividade escolares, tenho que me manter organizada e com a rotina em dia para dar conta de tudo. Pela manhã eles acordam, tomam café, fazem as tarefas da escola e só depois vão brincar um pouco. Por volta das 11h almoçam e logo tomam banho para irem à escola. O período da tarde ficam na escola. Chegando em casa, ficam à vontade para brincar. Por volta das 19h jantam, depois tomam banho e às 20h e 30min, coloco o trio para dormir. Somente no fim de semana que fico mais à vontade com os horários, mas não deixo de manter uma certa ordem nas coisas. Acredito que isso seja fundamental para manter a harmonia dentro de casa. 

10. Como é sair de casa com 3 filhos ainda pequenos?
É um desafio e tanto! Eu demorei bastante para sair com os pequenos sozinha. Saía com eles sozinha somente para ir à casa de minha mãe ou outra pessoa que pudesse me ajudar no cuidado com eles. Sinceramente, com eles pequenos eu quase não saía, dava muito trabalho. Eu preferia trazer minha família e amigos para minha casa. Tinha que preparar uma mala com tudo que eles iriam necessitar durante o período que ficássemos fora de casa, e ainda tinha os carrinhos, fraldas, mamadeiras e etc. Fora que mudar a rotina gerava um descompasso total em casa. Eu me estressava muito. Hoje, com eles mais crescidos, é bem mais tranquilo. Conseguimos fazer vários programas sozinhos. Gosto de ir ao cinema, ao clube, ao teatro e de levá-los a parquinhos em praças. É muito prazeroso e acredito que esses momentos ajudam a criar um vínculo muito positivo entre nós. 

11. Como é colocar 3 bebês para dormir todos os dias? Existe alguma rotina?
Sem rotina, é impossível! Desde bebês eu criei o hábito de colocá-los no mesmo horário para dormir. Nem sempre dava certo, mas aos poucos foram acostumando e as coisas se acertando. Também acostumei o trio a dormir sozinhos, sem ficar com eles no colo. Sempre colocava o trio no berço ou na minha cama para dormir. Deitava os três na cama de casal e ficava com eles até dormirem. Depois colocava cada um no seu berço. Quando choravam, tentava acalmá-los no próprio quarto. Nunca levei o trio para dormir comigo na cama. Por várias noites eu dormir no quartinho deles, para facilitar o meu descanso. Mas, levá-los para a minha cama de madrugada, de jeito nenhum. Mesmo que eu percebesse que eles não estavam com sono, fazia todo o ritual para a hora de dormir, ou seja, dava banho, mamadeira, quarto a meia luz e deitava com eles até dormirem. Hoje, por volta das 20h e 30min eles vão para o quartinho, deitam na cama e ficam por lá até dormir. Não preciso ficar com eles no quarto e não ficam me chamando o tempo todo. São muito comportados. 


12. Quais os 3 itens que você considera indispensável para cuidar dos três?
Rotina, rotina e rotina. Não tem outra forma. Temos que ser bem organizados e criar a melhor rotina para dar conta de tudo.

13. Quais foram as suas escolhas de carrinho e babá eletrônica?
Sempre tive dúvidas quanto a escolha de carrinhos. Depois de pesquisar muito a respeito, pegar muitas opiniões com outras mães, acabei optando por comprar carrinhos separados. Comprei carrinhos simples e leves, próprios para passeios. Gostei muito e não me arrependi. Eu não cheguei a usar babá eletrônica. 

14. Deixe 3 dicas que você descobriu na prática por ser mãe de trigêmeos!
  1. Faça tudo com antecedência, lidar com o imprevisto, sendo mãe de gemelares, não é nada fácil;
  2. Seja organizada, parece chatice, mas não é! Organização é tudo na vida com trigêmeos;
  3. Deixe o orgulho de lado. Aceite ajuda, você vai precisar muito!
15. Qual é o seu recado para as mamães de primeira viagem, sendo gemelares ou não?
Bem, aproveitem todos os momentos! Eles serão eternos na nossa memória e infelizmente passam muito rápido!


Adriana, muito obrigada pela entrevista e seja sempre bem-vina!

Ah, confiram a linda e funcional brinquedoteca que a mamãe Adriana fez para os seus trigêmeos: clique aqui


Gostaram? Você também é mãe de gemelares e gostaria de participar do quadro "Mamãe Responde"? Escreva para portalgemelares@hotmail.com que eu te envio a entrevista e digo o que fazer. 

Beijos, 
Juliana Doerner. 

(Clique e faça parte das redes sociais do Gemelares.com.br)
Comentrios
0 Comentrios

0 comentrios:


Postar um comentário

Obrigada pela visita em breve retribuirei!

Blogroll - Mães Blogueiras

Inscreva-se:  

Decoração

Receitas

Vida de Mãe

 
Pin It button on image hover