Caixa de busca

Últimas matérias

Quando falar de sexo com meu filho?

s 16:39


A pergunta acima parece uma tortura para muitos pais. Isso porque a grande maioria dos pais sabe que chegará um momento em que deverá conversar com o seu filho sobre sexo, no entanto, muitos não sabem qual a idade adequada e qual o conteúdo dessa conversa. Além disso, a visão cultural que desenvolvemos em torno da sexualidade é tão polêmica, sexista e preconceituosa que acabamos por transformar o assunto em um verdadeiro bicho de 7 cabeças.

Então, a fim de ajudar os pais a conversarem sobre sexo com os seus filhos, desenvolvi algumas dicas básicas para tornar as coisas mais simples. a resposta para a pergunta "quando conversar sobre sexo com o meu filho?", inclui respostas a outras três perguntinhas básicas que irão te ajudar a identificar o melhor momento:

1. Por que preciso conversar sobre sexo com o meu filho?
Esse não é um questionamento difícil de ser respondido, no entanto, muitos pais parecem ignorar essa situação como se "falar de sexo" fosse a coisa mais difícil e complicada do mundo. Mas não é difícil se você considerar que a sexualidade é um fator inerente ao ser humano, inclusive ao seu filho. 

Quando uma mulher fica grávida uma das primeiras curiosidades a respeito do bebê é o gênero sexual do mesmo. Saber se será menino ou menina parece fundamental simplesmente porque é em torno dessa resposta que uma criança é criada. O gênero sexual do bebê está atrelado a uma série de fatores psicossociais e culturais a respeito dos quais nos apegamos, equivocadamente ou não! O fato é que, não importa se uma criança é menino ou menina, mas que ela possui órgãos sexuais e desenvolverá hormônios que estimularão seu desenvolvimento sexual. Ou seja, em algum momento da vida seu "filhinho" ou "filhinha" irá se interessar por sexo e, se você não falar com ele sobre o assunto ele jamais poderá assimilar os seus princípios, valores e opiniões a respeito de sua própria sexualidade.

2. Qual a idade ideal para falar sobre sexo com o meu filho?
 Na realidade, não existe uma idade específica para ter essa conversa pela primeira vez. Isso porque o desenvolvimento de cada criança é individual e, portanto, subjetivo. De fato, devemos considerar que as crianças dessa geração estão cada vez mais precoces principalmente devido ao fato de que o conhecimento e a informação a respeito de qualquer assunto se encontram, literalmente, na palma das mãos. 

Assim, o que deve ser considerado é que cada criança possui o seu próprio tempo e que este tempo pode ser percebido através dos sinais que a própria criança demonstra. Se os pais se mantiverem atentos a esses sinais poderão identificar as melhores oportunidades para falar sobre o assunto. 

Eis alguns sinais que indicam oportunidades para conversar com o seu filho:
  • Quando a criança pequena fizer algumas perguntas como: de onde eu vim? Como eu nasci? Como o meu irmãozinho entrou na barriga mamãe? Porque os adultos beijam na boca? É hora de pensar nessas respostas! 
  • Quando a escola envia atividades com conteúdos a respeito do corpo humano e, normalmente, ensinam sobre a diferença entre "o corpo do menino" e o "corpo da menina" é o papel dos pais explicar um pouco mais sobre o assunto.
  • Quando seu filho começa a expressar interesse pelo próprio corpo, dedicando-se mais à higiene pessoa e à vaidade, normalmente na puberdade, indica que o interesse do seu filho sobre o assunto está se modificando e que o assunto deixou de ser uma questão geral e está se tornando uma questão pessoal. Os interesses deixaram de ser sobre a origem dos bebês e passaram a ser o próprio corpo, os próprios sentimentos, as próprias sensações. Isso indica que é hora de falar a respeito da sexualidade dele enquanto individuo e não apenas abordar assuntos generalizados. 
  • Quando seu filho começar a demonstrar que está interessado em outra pessoa: quiser sair sozinha com alguém, estiver sempre cochichando com coleguinhas da mesma idade, assumir que quer namorar ou você desconfiar que ele ou ela está "ficando" é hora de desenvolver uma conversa verdadeiramente séria sobre o assunto.
3. Como devo me comportar ao falar de sexo com o meu filho:
Apesar de não existir uma idade certa para falar do assunto há sempre o momento mais adequado para explicar ou ocultar algumas coisas: 
  • Não fale além do que seu filho perguntar. Se seu filho perguntou sobre a origem dos bebês responda apenas a essa pergunta. Não suscite curiosidades antes do tempo. O conteúdo de suas respostas deve estar relacionado às perguntas dele. Se ele ainda não perguntou, não fale;
  • Se quando pequeno seu filho fizer uma pergunta sobre sexo e você deixar de respondê-lo ele obterá as respostas com outras pessoas, na rua, com colegas de escola, na televisão ou simplesmente na internet. Ao descobrir as respostas através de outras pessoas ele não apenas deixará de saber os princípios e valores importantes para os pais, como também perderá a confiança neles e, então, não se sentirá a vontade para ter uma conversa aberta sobre sexo com o pai ou com a mãe quando sentir necessidade. Portanto, responda e respeite as perguntas de seu filho! Se não souber como respondê-las diga-lhe que responderá no outro dia, pesquise e então o chame para esclarecer o assunto. Não deixe dúvidas pendentes. Se você não falar, outros falarão;
  • Não minta. Ainda que seja difícil responder algumas perguntas será muito mais difícil se ele descobrir que você mentiu. É claro que você deve utilizar uma linguagem adequada com seu filho, mas jamais inventar histórias nas quais ele claramente não irá acreditar. A ideia da cegonha, por exemplo parece bonitinha e adequada, mas em pouquíssimo tempo seu filho descobrirá que ela não é verdadeira. Utilize discursos como o de que "o papai ama a mamãe e, por isso, colocou uma sementinha dentro dela". Eles são muito mais próximos da verdade. 
  • Evitar inventar apelidos para as partes do corpo. Isso porque quando o seu filho descobrir o nome real dos órgãos genitais ele terá a sensação de que você se utilizou de apelidos por considerar o assunto algo proibido ou sujo;
  • Fale com segurança e clareza. Utilize-se da linguagem adequada e não demonstre ansiedade ou preocupação para falar sobre o tema. Se o assunto parecer difícil pesquise sobre livros e filmes que poderão auxiliá-los nessa conversa, mas nunca ignore a necessidade em falar do assunto. 

Após reconhecer a necessidade de conversar sobre sexo identificar os sinais que seu filho emite e decidir qual a sua postura na hora de falar do assunto, seguem algumas dicas sobre o que deve ser dito em cada idade, aproximadamente, levando em consideração que o interesse do seu filho pode ser um pouco precoce ou um pouco tardio. 

- Entre 2 e 6 anos

É a partir dos 2 anos que as primeiras perguntas "complicadas" sobre o assunto irão surgir. Como foi dito anteriormente, responda apenas ao que ele perguntar. 

A maioria das crianças entra na escola aos 3 anos. Nessa fase é importante orientá-la sobre o próprio corpo isso porque ela estará mais exposta e passará mais tempo longe dos pais e de pessoas de confiança da família. Assim, diga-lhe que ninguém pode tocar em seu corpo, nem por cima e nem por  debaixo da roupa. Essa é forma de evitar abusos. 

- Entre 7 e 10 anos

Nessa fase as tarefas escolares sobre copo humano costumam ser mais frequentes. Acompanhe o seu filho quando ele estiver respondendo algo sobre o assunto. Pergunte-lhe se há que ele gostaria de saber e diga-lhe que sempre que possui alguma dúvida sobre o assunto poderá ficar a vontade para te perguntar. 

- Puberdade

No início da puberdade, quando o corpo de seu filho começa a mudar, os hormônios estarão entrando em ação. Essa é a hora de fala com seu filho sobre os interesses sexuais dele. Vocês podem assistir a um filme adolescente sobre o assunto ou ler um livro e depois conversar a respeito. 

Quando sua filha tiver a menarca, primeira menstruação, leve-a ao ginecologista, mas não se esqueça de conversar com ela sobre as mudanças que seu corpo sofrerá a partir desse momento. 

- Adolescência

Não tem como fugir, a adolescência é o momento em que você precisa falar tudo sobre sexo com o seu filho. Porque se você não falar ele irá aprender sozinho. Fale sobre as relações sexuais e não se esqueça de explicar sobre a relação entre amor e sexo e sobre o respeito para com o corpo da outra pessoa. 

Nesse momento você também deverá falar sobre as doenças sexualmente transmissíveis e o uso da camisinha, gravidez precoce, consequências e métodos contraceptivos. Não se esqueça de transmitir ao seu filho seus princípios e valores pessoais sobre o assunto. Fale sobre a desvalorização do corpo feminino e o quanto essa perspectiva é machista e preconceituosa. Se você e sua família possuem algum preconceito, sexismo e discriminação. 

Falar sobre sexo com o seu filho pode não ser a coisa mais fácil do mundo, mas com certeza, será um forte vínculo de confiança entre vocês. Ao ensinar educação sexual ao seu filho você estará ensinando-o sobre o respeito ao próprio corpo e ao corpo do outro, mas também o ensinará a ter uma vida sexual mais saudável quando chegar o momento. 


Postado por: Tahiana Andrade S. Borges
E-mail: taiborges.psicologa@hotmail.com
Página no Facebook: https://www.facebook.com/psicologianoseudiaadia
Psicóloga clínica e Especialista em Gestão de Pessoas - CRP03/IP7420


                      
Facebook - Twitter - Instagram - Pinterest - Youtube
(Clique e faça parte das redes sociais do Gemelares.com.br)
Comentrios
0 Comentrios

0 comentrios:


Postar um comentário

Obrigada pela visita em breve retribuirei!

Blogroll - Mães Blogueiras

Inscreva-se:  

Decoração

Receitas

Vida de Mãe

 
Pin It button on image hover