Caixa de busca

Últimas matérias

Parto de gêmeos normal humanizado

s 23:10

Hoje, a mamãe Nara Cristina, relata como tudo aconteceu no dia do nascimento dos gêmeos através de um parto normal humanizado. Isso mesmo! Esse é o primeiro relato de parto humanizado aqui no Gemelares e confesso que fiquei emocionada. 

Confiram: 

Parto de gêmeos normal humanizado

"Informação é a base de tudo. Informei-me bastante a respeito dos tipos de parto, e quais os riscos em uma gestação gemelar. Estudos científicos comprovam a eficácia por parto via vaginal, como mais seguro para mãe e bebê. Para a gestação gemelar, não é diferente, vai depender muito do profissional que assistirá o parto. Já havia passado por um parto normal com intervenções médicas e não queria repetir o mesmo. Por isso, escolhi o Parto Humanizado e vou contar como foi maravilhosa a experiência de trazer meus filhos ao mundo de forma respeitosa, respeitando a natureza do meu corpo e o meu protagonismo como mulher.

Comecei a sentir os primeiros sinais, terça-feira dia 04 de fevereiro, uma cólica, chamei minha doula querida Val, que veio correndo para minha casa, mas só foi ela chegar e tudo passou. Concordo quando dizem que Doula é um santo remédio, elas curam o mal também. 


Parto de gêmeos normal humanizado

Voltei a sentir uma intensa dor na madrugada de sexta para sábado, dia 08 de fevereiro. Durante três horas fiquei sentindo muita dor, mas consegui relaxar e dormir. Porém na madrugada de sábado para domingo, dia 09 de fevereiro, voltei a sentir dores nas costas e depois vieram as contrações, que eram leves e indolores, e foram até 10h00min da manhã e depois sumiram. Neste tempo a Val já tinha chegado em casa para me monitorar, caso fosse preciso ir para a maternidade. Ela saberia dizer o momento certo de partir. Resolvi descansar na parte da tarde, estava cansada e foi dormindo que as contrações vieram. Ritmadas e sem dor. 

De noite resolvemos partir. Tínhamos que nos deslocar para São Carlos, a viajem foi tranquila, sentindo bastantes contrações, o suficiente para chegar à maternidade com 6 dedos de dilatação. Uauuuu, isso me animou! Lembro que eu dizia para o Kautê, toda vez que íamos ao ginecologista, caso fizesse o toque, para não contar o quanto eu estava dilatada. Como nunca aconteceu em nenhuma consulta, acho que foi só eu saber para as contrações sumirem. Era muita ansiedade! Na maternidade encontramos com a Mari, fotografa de Araraquara, que se voluntariou para registrar todo processo do parto e a chegada dos gêmeos, e também a Vânia, Doula de São Carlos que também se voluntariou para ajudar no processo do parto. 

Bom, lá fomos para o quarto de internação. Íamos ficar no quarto coletivo, só que algum aparelho não
estava funcionando no quarto, e aí fomos transferidos para o PPP (quarto único, pré parto, parto e pós parto). Que lindo, digno de todos para receber com muito amor os nossos bebês. Lá se iniciou o trabalho de parto. Nossa como dá trabalho um parto, as contrações vinham espaçadas e sem dor. E foi assim ao longo da madrugada, contração sem dor. Às 5h30min do dia 10 de fevereiro, por indicação médica, recebi ocitocina em doses bem baixas, pois estava muito cansada, inclusive fomos questionados se realmente queríamos, conversamos com a Val, pensamos e decidimos pelo, sim. Fiquei um pouco triste, mas foi preciso, pois estava muito cansada e sem dormir a horas. 

Na manhã seguinte a Val teve que partir, tinha um curso que não podia faltar. Fiquei com medo durante o período da gestação tinha feito planos, queria ela ao meu lado no dia do Parto. Mas foi preciso sua saída, para isso Val tinha um pedido a Vânia, que me acompanhasse em sua saída, e ela aceitou. Eba!

Parto de gêmeos normal humanizadoDurante o dia fiz exercícios, agachei, rebolei, pulei, caminhei, fiz o que pude. Conversei bastante com a Vânia, aproveitamos para nos conhecer. - Que pessoa linda que ela é! - No começo da tarde fui dormir. Mari decidiu partir para sua casa em Araraquara, estava cansada e precisava ver a família, caso evoluísse avisaríamos. E foi só eu me deitar para as contrações começarem. Quando eu relaxava elas vinham, mas foi somente no início da noite que elas começaram a ficar ritmadas. Decidi tomar um banho, pois o médico ia passar para me ver e examinar. Depois do banho me sentei na cama e minha mãe começou a escovar meu cabelo. Neste momento, Vânia resolveu colocar uma música que saudava Iemanjá.

Pronto, os trabalhos foram abertos!

Às 21h00min do dia 10 de fevereiro, veio a primeira dor, uma dor de querer expulsar, que dor, era a dor que eu desejei sentir o dia todo, mas tão logo a de expulsar? Agradeci em pensamento e pedia que me permitisse realizar o que tinha que ser. E num gesto de Namastê, que eu não me lembrava de que tinha feito, eu dei um "ok" para Vânia de que estava pronta, ou seja, que "iria parir". 

Escolhi ir para banheira, queria água. A cada grito eu bebia água, queria me afundar na água. Na minha frente observava os olhos claros da Vânia, queria me certificar de que em todo momento ela estaria lá. O Kautê ficou atrás de mim, do lado de fora da banheira, queria que ele tivesse entrado comigo, mas não tive forças para dizer. Estiquei minhas pernas e tentei ficar o máximo submerso na água. Minha mãe só ficou observando no sofá, de longe, mas logo se aproximou. Percebi que ela também estava ao meu lado naquele momento. 

Perfeito, tudo pronto!

Logo a ginecologista me examinou, disse que estava com 9 cm de dilatação, mas o médico não tinha chegado ainda, e não aguentava mais, precisava fazer força, então, eu fiz. Comecei a fazer muita força e sentia o bebê se mover dentro de mim. Vânia me ajudava com a respiração, eu a ouvia respirar e repetia o procedimento. De repente o tal "círculo de fogo" começou, como queima, veio devagar, mas a vontade de expulsar foi maior. E foi assim, com muita força que o primeiro bebê veio ao mundo, às 23h20min, direto para os meus braços. Que sensação ótima! Ele chorava, que lindo, que frágil, tão pequenininho! Ficou ali no meu colo por alguns minutos. Neste tempo algumas pessoas começaram a chegar, vi que a Val estava ali, que bom que ela voltou como havia prometido. E o médico chegou também. 

Parto de gêmeos normal humanizado

Senti novamente uma contração, pedi para grampear o cordão do primeiro bebê, pois o segundo já estava querendo sair. Minha mãe cortou o cordão do primeiro bebê. E aí veio a vontade de fazer força de novo. O médico foi examinar e disse: "esse vai vir com bolsa". Fiz força, às 23h30min. Que rápido, que alívio, sem dor nenhuma o segundo bebê nasceu, empelicado na bolsa. Lindo e perfeito! Desejo que todos os bebês nasçam assim. Ele era menorzinho e foi direto para os meus braços também. Chorou no meu colo, estava com os olhinhos abertos observando. Que benção! Ficou ali no meu colo até que o cordão parasse de pulsar e assim foi feito. Escolhi a Val para cortar o cordão do segundo bebê. 

Parto de gêmeos normal humanizado

Nossa! Aconteceu tudo isso e esquecemos de ligar para Mari, Poxa! Ela foi avisada em cima da hora, e os gêmeos não aguentaram esperar sua chegada! 

Parto de gêmeos normal humanizado

Meus bebês não sofreram nenhuma intervenção médica, não foram aspirados e nem precisaram de colírios nos olhos. Foram examinados pela pediatra na frente dos pais, no mesmo quarto, do meu lado. Mamaram na primeira hora de vida deles. Foram acolhidos com amor e respeito. Que graça! Que Benção! Que maravilha! Depois disso as pessoas foram indo embora para que pudéssemos descansar. Mas  todos com sentimentos gratos por tudo ter acabado bem e por ter sido perfeito. 

Parto de gêmeos normal humanizado

Sou grata a todos que estiveram junto comigo, ao meu companheiro que sempre me apoiou, aos amigos que ajudaram com os custos e a equipe por todo respeito que teve a mim e a natureza do meu corpo. Viva a humanização! 

E aos gêmeos dei o nome Raul e Caetano." (Nara Cristina)

Que história linda e emocionante!!

Seja sempre bem-vinda ao Gemelares Nara!

Confiram mais histórias clicando aqui

                      
Facebook - Twitter - Instagram - Pinterest - Youtube
(Clique e faça parte das redes sociais do Gemelares.com.br)
Comentrios
3 Comentrios

3 COMENTÁRIOS:

  1. Chorando horrores, que lindo depoimento. Estou grávida de gêmeos 7 meses e o medo começa a ficar grande, estou deixando as coisas nas mãos de Deus, a princípio será cesariana pois tenho medo de dar algoeerrado mas seja feito a vontade de Deus.

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha muita certeza que queria parto natural! Mas como Deus gosta de colocar nossas certezas a prova me enviou dois bebês e a insegurança tá batendo. Ótimo ler histórias como a sua. Minha médica é defensora do parto humanizado e faz muito poucas cesarianas. Tomara que eu consiga. Luísa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não desanima não, eu tive uma cesárea necessária e depois consegui um parto normal. Não há coisa melhor.

      Excluir

Obrigada pela visita em breve retribuirei!

Blogroll - Mães Blogueiras

Inscreva-se:  

Decoração

Receitas

Vida de Mãe

 
Pin It button on image hover