Caixa de busca

Últimas matérias

Educação Sexual começa em casa!

s 16:05

Mais uma novidade chegando!! A mamãe de Gemelares Jocimara Francetto é a mais nova colunista do Portal Gemelares, ela terá uma coluna exclusiva: Criança & Sexualidade. A mesma é Psicopedagoga, especialista em Educação Sexual, orientadora educacional num colégio particular, tem uma coluna na Revista APM (Associação Paulistana de Medicina), e agregando ao Portal Gemelares um leque de dicas sobre esse tema que ainda é tabu e os pais não sabem lidar.

Seja bem vinda Jocimara Fancetto, é um imenso prazer tê-la no Portal Gemelares: 


As coisas que não tem nome assustam, escravizam-nos, devoram-nos”                                          
Mário Quintana.

A sociedade vem apresentando muitos avanços e conquistas nos últimos anos, tais como o desenvolvimento da tecnologia, da informática e outros. Mas quando o assunto é sexualidade, ainda é um tabu, sim, ainda existe muito preconceito quando se fala do sexo. A sexualidade não se restringe somente ao ato sexual e falar desse tema é falar da própria vida.

A educação sexual é um direito de todos, inclusive de crianças e é possível alcançar esse direito se cada um de nós compreendamos  nosso verdadeiro papel na sociedade. Assim poderemos, quem sabe, num futuro próximo poder contar com uma sociedade mais informada sobre a questão da sexualidade, mais consciente, e, portanto, mais preparada para o verdadeiro desafio de educar.

A educação sexual é uma constante na vida do ser humano. Desde o seu nascimento, sofremos  as influências da sociedade em relação aos padrões de comportamento masculino e feminino.

A família deve se preocupar com essa questão de maneira tranquila, para que o sexo não seja visto como um “bicho papão”, e sim como um processo natural da vida, vivido com muito diálogo e compreensão.

A sexualidade humana é ainda envolta em mitos e crendices e nossa sociedade demonstra ter pouco conhecimento acerca dos conceitos básicos referentes às suas dimensões biológicas, psicológicas e sócio-culturais.

A família é ou deveria ser o primeiro lugar a construir pilares sólidos para lidar com a educação sexual, porém o que se observa é que a família tem dificuldade em tratar a sexualidade com os filhos, sejam eles crianças ou adolescentes. Isso se dá, muitas vezes, pelo fato da família ter valores conservadores, pautados em crenças religiosas, o que pode lhe causar desconforto ao conversar sobre  sexualidade com seus filhos.

Sendo assim a questão da sexualidade vem sendo alvo de discussões por parte da sociedade, família, da escola e de diversos segmentos culturais.

Se considerarmos as dificuldades e angústias que está vivenciam os adolescentes nos dias de hoje, há realmente que se preocupar com a sexualidade infantil, ou seja, com a sexualidade das crianças que, inevitavelmente, se tornará adolescente. Ou deixaremos para nos preocupar quando a fase da adolescência chegar? É claro que, como diz o velho ditado, “prevenir é melhor que remediar”, é importante prevenir sim, mas temos que encarar a questão da sexualidade não apenas como uma necessidade de prevenção na área da saúde, mas como um direito de todos.

Super beijo e acredite, falar desse tema é falar da própria vida!

Gostaram?


Postado por: Jocimara Francetto
E-mail: jocimara.francetto@gmail.com - Casada, mãe de um casal de Gemelares
Psicopedagoga e especialista em Educação Sexual. Orientadora educacional, colunista na Revista APM (Associação Paulistana Medicina). E colunista dessa coluna Criança e Sexualidade.


Gostou? Compartilhe!
Comentrios
0 Comentrios

0 comentrios:


Postar um comentário

Obrigada pela visita em breve retribuirei!

Blogroll - Mães Blogueiras

Inscreva-se:  

Decoração

Receitas

Vida de Mãe

 
Pin It button on image hover