Caixa de busca

Últimas matérias

Família Gemelares da Semana - Por Luciene Goés

s 08:30

"Jamais esquecerei a primeira vez que amamentei, o primeiro banho, o primeiro olhar, podem passar várias décadas essa sensação estará sempre gravada na minha memória".


Desde criança sempre sonhei em ser mãe, sempre nas brincadeiras de boneca eu era mãe de gemeos, por incrível que pareça. Cresci mas nunca deixei de sonhar em ser mãe, apenas coloquei outros planos na frente. Mas depois de 5 anos e 8 meses de namoro me casei com o homem da minha vida e para completar essa felicidade estava decidida a ter um filho. Deixei de tomar remédio, então surgiu um cisto hemorrágico com suspeita de gravidez ectopica, ouvir essas palavras do médico me deixou sem chão e desesperada. Após mais alguns exames e uma provável internação veio o alivio, eu não estava grávida somente com um cisto. Foi um misto de alegria e tristeza, alegria por não estar com uma gravidez ectopica e tristeza por ver que realmente não estava grávida.

Um mês depois de toda essa turbulência meu ciclo atrasou, exatamente no dia dos pais 08/08/2010 contei para o meu marido que achava que estava grávida, ele achou que era coisa da minha cabeça, a principio não acreditou, falou que era para esperar mais alguns dias e fazer o teste. Os dias iam passando e nada, mais um dia, e nada, até que resolvi comprar um teste de farmácia. Cheguei em casa e não falei, na hora que eu fui tomar banho peguei o teste, levei para o banheiro, eu tremia tanto, estava tão nervosa que foram os 3 minutos mais longos da minha vida. Quando vi a primeira lista aparecendo fiquei apreensiva, com medo de dar negativo, até que para minha surpresa apareceu outro lista, a emoção tomou conta, e comecei a chamar meu marido desesperadamente, quando ele chegou até o banheiro mostrei o teste para ele e disse "Parabéns, vc vai ser papai" ele ficou paralisado como se ainda estivesse absorvendo a noticia, demorou um pouquinho para cair a ficha e ficar emocionado com a noticia.

Marquei consulta com o meu ginecologista para iniciar o pré natal, e chegou o dia do primeiro ultrassom. Meu marido ficou no carro me esperando, entrei no laborátorio toda contente imaginando que eu iria ouvir pela primeira vez o coração do meu bebê. Na hora do exame foram algumas perguntas e quando iniciou o ultrassom o medico perguntou "é o primeiro filho?" respondi sim e ele disse "o primeiro e o segundo" levei um susto e não acreditava até que ele virou a tela do monitor e me mostrou, fiquei realmente chocada, mas tão feliz que ninguem poderia tirar aquele momento de mim.


Finalizou o exame voltei para o carro, pois teria que esperar 1 hora para o exame ficar pronto, todo mundo ficava brincando falando que na minha barriga não tinha só um bebê, ele já estava com medo e a primeira pergunta que ele fez foi "é um só né?" eu disse que sim pq queria fazer surpresa, mas fiquei pensando que iria ficar 1 hora ali parada sem poder falar nada e não me contive e falei para ele "Mo, se fosse dois vc ia desmaiar?" Ele claro disse que sim, então eu falei "Pode desmaiar então!" Ai foi uma felicidade só, começamos a ligar para todos da familia para contar a novidade que iriamos ter dois bebês.



No inicio da gestação tudo foi normal, meu médico já transferiu o pré natal para um hospital, pois minha gestação era de alto risco, começou os enjoos, que não acabaram no 4º mês, e sofri com isso até o final da gestação.Todo mês realizava vários exames, e sempre 1 ultrassom por mês, mas nunca conseguia ver o sexo dos bebês, até que chegou o 5º mês e mais um ultrassom e para nossa alegria eu estava grávida de duas menininhas.

Todo mês eu que ia ao médico levava uma bronca, pois minha pressão estava elevada e assim foi mês a mês levando bronca. Quando entrei no 7º mês decidi trocar de medico, pois estava muito inchada e não estava sentindo confiança no medico. Então resolvi passar com o medico que iria realizar minha cesárea. Na primeira consulta veio a surpresa minha pressão estava muito elevada e fui afastada do trabalho com DHEG (mais conhecida como pré-eclampsia), iniciei o tratamento com medicamento para manter a pressão estavel, mas a cada dia estava mais inchada, chegava ao ponto de escorrer agua pelas minhas pernas de tão inchada que estavam.

Quando entrei no 8º vez decidi deixar tudo pronto para chegada das minhas gatinhas, o quarto já estava decorado, as roupas todas limpinhas, passadinhas e as malas prontas. O médico já tinha agendado a data da cesárea para o dia 24/03. No dia 20/03 resolvi ir conhecer a maternidade onde elas iriam nascer, o dia passou normal, porém não me senti muito bem a noite, achei normal até pq naquela altura tudo em mim doia, a coluna, as pernas, os pés, a cabeça e tudo mais. No dia seguinte levantei da cama apenas para tomar café da manhã, em seguida voltei para ela, por volta das 14h, resolvi ir almoçar para não ficar com o estomago vazio, quando consegui ficar em pé senti uma enxurrada escorrer nas minhas pernas, fiquei parada por alguns instantes e percebi que a minha bolsa tinha estourado 3 dias antes da data marcada pelo médico. Como estava sozinha em casa tentei ficar o mais calma possivel, liguei para meu marido avisando que iriam nascer, ele chegou em casa cerca de 30 minutos depois, durante esse tempo, já estava sentindo dores horríveis, fomos para o hospital e a dor persistia.


Quando dei entrada no hospital fui encaminhada para triagem para os primeiros preparativos e foi constato que minha pressão estava em 22 por 10. Fiquei sentindo as contrações por 5 horas esperando o médico chegar no hospital, para tentar baixar minha pressão.Quando fui encaminhada para o centro cirúrgico, encontrei o anestesista, fiquei tão feliz, pois sabia que aquela dor iria sumir.

Ás 20h47 nasceu a Camila pesando 2,960k e medindo 47cm, 1 minuto depois nasceu a Milena pesando 2,650k medindo 48cm. Elas tiveram alta no dia 23/03, porém eu tive alta somente no dia 25/03, porque ainda não tinham conseguindo estabilizar minha pressão. Apesar de tudo que passei, de todas as dores, da minha barriga ter arrebentado toda, devido a quantidade de medicamento que tive que tomar por causa da pressão, e faria isso quantas vezes forem necessárias para ter minhas filhas comigo.

Jamais esquecerei a primeira vez que amamentei, o primeiro banho, o primeiro olhar, podem passar várias décadas essa sensação estará sempre gravada na minha memória.

Luciene, seja sempre bem vinda ao Portal Gemelares!

Gostou do 27º relato da Família Gemelares da Semana? 
Conheça quais foram as famílias que já passaram 
por essa coluna, clicando aqui ! 

Você quer ver a sua família no Gemelares, 
clique aqui e saiba como!


Gostou? Compartilhe!
Comentrios
0 Comentrios

0 comentrios:


Postar um comentário

Obrigada pela visita em breve retribuirei!

Blogroll - Mães Blogueiras

Inscreva-se:  

Decoração

Receitas

Vida de Mãe

 
Pin It button on image hover