Caixa de busca

Últimas matérias

Mamãe Responde - Alessandra Bruny

s 08:30

"O meu maior presente, minha maior riqueza! Se no início para mim a notícia foi um choque, hoje não me imagino mãe de apenas um bebê. Minhas Gemelares são a minha vida!"

Nome: Alessandra Bruny Ferrari
Idade: 37 Anos
Profissão: Fotógrafo
Nome e Idade dos Gemelares: Mirela e Graziela com 6 anos

Univitelinos ou bivitelinos?
- Bivitelinas

Quando descobriu que estava grávida de Gemelares, o que sentiu?
- Pânico! Minha gravidez foi planejada, mas nunca havíamos pensando na hipótese de gêmeos já que não há histórico de Gemelares nas nossas famílias. No inicio me vi preocupada com coisas que hoje sei  que eram até ridículas, como: "não vou conseguir cuidar de 2 bebês", "não vou conseguir amar  2 bebês ao mesmo tempo" e por aí vai. Demorei uns 20 dias para assimilar a notícia e passar a curtir toda a alegria da minha dupla gestação.

Usou algum produto para evitar estrias?
- Muito hidratante.

Eles mexiam muito?
- Sim, as duas. A Grazi estava próxima às minhas costelas, então eu a sentia mais. Costumava colocar música para elas ouvirem na barriga e era uma festa! Elas pulavam sem parar.

Qual a melhor posição para dormir?
- Isso foi complicado! Cheguei a dormir sentada no final da gravidez. Mais confortável era apoiar travesseiros entre as pernas, embaixo da barriga e nas costas, ou seja, uma barricada! rs.

Teve algum desejo?
- Não.

Quantos quilos engordou?
- 11kg na gravidez e muitos quilos na amamentação! Todos dizem que amamentar emagrece, mas para mim foi o oposto. No final de cada mamada sentia tanta fome e tana sede que acabei engordando mais do que na gestação.

Com quantas semanas de gestação eles nasceram?
- Nasceram com 37 semanas e meia. Mirela nasceu com 2,170kg e a Graziela nasceu com 2,660kg

Parto normal ou cesárea?
- Parto cesárea. Queria parto normal, mas Mirela seria a primeira a nascer e estava sentada. Também queria aguardar a "bolsa estourar" mas minha pressão começou a ficar muito alta e minha obstetra acabou optando por agendar o parto para evitar possíveis complicações. As bebês já estavam com 37 semanas e meia, tínhamos tomado corticoide e na avaliação da médica, aguardar poderia trazer riscos para mim e para as pequenas.

Quando nasceram foram direto para o quarto com você ou foram para UTI?
- Uma alegria! Foram direto para o quarto, Mirela nasceu às 19:54h e a Graziela às 22:00h, estávamos as 3 no quarto. Foi um período mágico! Incrível olhar as mãozinhas, narizinhos, orelhinhas, tudo perfeito. Uma dica que posso dar é que aproveitem ao máximo a ajuda e dicas das enfermeiras, graças a Deus a enfermeira que me ajudou, foi super prestativa e carinhosa, me ajudou muito principalmente para que as bebês "pegassem" corretamente o peito.

Após as Gemelares chegarem em casa, qual foi a maior dificuldade?
- Aprender a viver em uma nova casa! Também foi difícil conviver com o cansaço físico, passava os dias inteiros praticamente de pijama.

Conseguiu amamentar e até quando?
- Até 10 meses e meio, foi uma delicia! Tenho tantas saudades desse momento, minha vontade era dá o peito até completarem 01 ano, mas com 10 meses elas de uma hora pra outra não aceitaram mais. Primeiro a Mirela e 2 dias depois a Graziela, fiquei triste, deprimida, achava que elas não gostavam mais de mim (que bobagem) e com isso passei 2 semanas tirando leite com a bombinha e dando de mamadeira. O desgaste foi maior, tanto físico, quando mental e acabei percebendo que elas estavam com quase 01 ano, super saudáveis e que meu peito não faria mais tanta falta assim.a

Como é cuidar de tudo e de todos?
- Nossa, é uma batalha diária! Até hoje consomem muito do meu tempo. Hoje trabalho em casa e tem horas que vou pirar! Não tive babá, mas muita ajuda do meu marido e da minha empregada que intercalava o serviço da casa com a ajuda com as bebês. Agora que estão maiores, elas vão para a escola no período da manhã. Duas vezes por semana fazer atividades e nos outros dias ficam em casa com a empregada. Infelizmente não tenho família por perto e com isso tenho sempre que contar com a ajuda de uma empregada.

Qual o carrinho comprou?
- Optei por comprar 2 carrinhos da Burigotto, daqueles tipo "nave espacial" que também serviam de bercinho e tinham encaixe para o bebê conforto. Não comprei carrinho para gêmeos, pois teria dificuldades para acessar portas, escadas rolantes e elevadores. Quando fizeram 6 meses, troquei os carrinhos por outros 2 modelo guarda chuva da Infanti. Foi a melhor coisa que fiz! Ganhei muito espaço em casa e no porta malas do carro.

Como os gêmeos são?
- Únicas! Cada uma com seu jeito, estilo e personalidade. Sempre estimulei muito e acho incrível esta identidade.

Você tenta combinar as cores das roupas, ou não liga para isso?
- Elas nunca usaram roupas iguais. Mas mesmo usando roupas diferentes, eu sempre tentei  combinar estilos. Minha dificuldade para comprar roupas até hoje é a preocupação de não comprar algo melhor pra uma e pior para outra. Quando saímos não gosto que uma esteja melhor vestida que a outra. Mas atualmente estou totalmente sem controle sobre o vestuário delas, são elas que decidem o que comprar e também o que, e quando usar!

Como é sair de casa com as 2?
- Hoje é tranquilo. mas quando eram pequenas era um trabalhão! Preparar mala, carregar milhares de coisas e ainda ter que aguentar um monte de gente com as seguintes abordagens: "São gêmeos?", "é um casal?", "são idênticas?", tirava muito da minha paciência, que já não é tão grande por natureza. Era tão cansativo que muita vezes optei por ficar em casa.

Rotina, você é contra ou a favor?
- Super a favor! Aqui em casa sempre houve rotina e haverá por um bom tempo ainda. Acho que a criança e a família precisam da rotina.É saudável para todos.

Sua auto estima, como ficou depois de mãe de Gemelares?
- Péssima! No inicio eu passava mais tempo de pijama do que outra coisa. Como engordei muito depois do parto, isso também detonou minha auto estima e até hoje não consegui recuperar o que era antes das meninas. Não por culpa delas, mas minha mesmo! Sei que preciso encontrar um equilíbrio entre minhas necessidades e a atenção que elas precisam. Luto com isso todos os dias, mas ainda não consegui.

O papai ajuda?
- Muito, ele é um super pai, muito presente desde o pré natal e até hoje.

Como conciliar trabalho e filhos?
- Não é fácil, como trabalho em casa, tem dias que tento e não consigo. Meus projetos de curto prazo incluem conseguir um espaço para meu trabalho e com isso passar a conciliar essa situação com mais tranquilidade. 

O esposo cobra atenção?
- Sim e não, ele cobra porque é natural que um casal dê atenção um para o outro. É vital pra relação! Mas ao mesmo tempo ele é super companheiro e entende os momentos que não consigo dar atenção.

O relacionamento com seu esposo mudou muito após a chegada dos gêmeos?
- Mudou demais, amadureceu! Hoje além de marido e mulher, estamos aprendendo a conviver com o papel de pai e mãe. Não é fácil, mas quando se está junto fica mais tranquilo.

Algum segredo?
- Não, acho que ter paciência, é algo que ainda estou aprendendo e faz muita diferença na relação com os filhos.

Um conselho para as Mamães de Gemelares?
- Respeitem a individualidade dos bebês, por falta de opção eles dividem tudo, nosso colo, carinho e atenção. É importante que para compensar o peso do irmão gêmeo, que eles tenham a sua identidade, seus gostos por brincadeiras, amigos.

Ser mãe de Gemelares é?
- O meu maior presente, minha maior riqueza! Se no início para mim a notícia foi um choque, hoje não me imagino mãe de apenas um bebê. Minhas Gemelares são a minha vida!



Alessandra, seja sempre bem vinda ao Portal Gemelares!




Você quer participar dessa coluna?
Clique aqui e saiba como participar do Portal Gemelares.


Gostou? Compartilhe!
Categorias:
Comentrios
0 Comentrios

0 comentrios:


Postar um comentário

Obrigada pela visita em breve retribuirei!

Blogroll - Mães Blogueiras

Inscreva-se:  

Decoração

Receitas

Vida de Mãe

 
Pin It button on image hover