Caixa de busca

Últimas matérias

Mamãe Responde - Renata Cossettin

s 14:46

Uma mamãe que romantiza a maternidade!





Nome: Renata Cossettin Marques
Idade: 34 Anos
Profissão: Administração
Trabalha: sim, na área da gestão pela qualidade, mas inciando também na carreira de fotógrafa
Nome e idade doa gêmeos: Raul e Carolina, 2 anos e 3 meses

Univitelinos ou Bivitelinos?
- Bivitelinos.


Tem mais filhos e pretende ter mais?
- Não e não pretendo ter mais.


Quando descobriu que estava grávida de Gemelares, o que sentiu?
- Na primeira ecografia. Quando vimos aqueles dois pequenos "feijões", apertamos nossas mãos, nos olhamos, abrimos aquele sorriso um para o outro e começamos a chorar, já sabendo que eram dois bebês, antes mesmo da médica comunicar, foi uma emoção incrível.

Usou algum produto para evitar estrias?
- Usei muito óleo mineral no banho, e cremes do O Boticário, especifico para gestantes e  Gerare. Fiquei com pouquíssimas estrias que surgiram na última semana de gestação, quando a barriga deu um "bum".

Eles mexiam muito?
- Mexiam bastante! Quando deitava, dava para sentir mais. Pela 30ª semana, o Raul já estava encaixado e a Carolina ficava dando voltas, uma hora estava com a cabecinha de um lado, outra hora do outro, rs. Era uma sensação maravilhosa!

Qual a melhor posição para dormir?
- No final da gestação não tinha  posição melhor. De lado era menos desconfortável.

Teve algum desejo?
- Não tive quase nada de desejo, mas comia muita laranja e maçã. Sentia-me bem com essas frutas.


Quantos quilos você engordou?
- 20kg, sendo que logo que nasceram perdi 14kg e em seis meses já tinha perdido mais uns 3kg. Hoje me sinto bem com meu corpo e o peso que estou, mas pra ficar perfeito, quero perder mais 2kg.


Com quantas semanas de gestação eles nasceram, tamanho e peso?
- Nasceram de 35 semanas. O Raul foi o primeiro, com 2,020kg com 41cm, e a Carolina, um minuto depois, com 1,510kg com 40cm.


Parto normal ou cesárea?
- Cesárea.


Quando nasceram foram direto para o quarto com você ou foram para UTI?
- Os dois precisaram ficar na UTI para ganho de peso. O Raul ficou
 19 dias e a Carolina ficou 26 dias.


Após os gêmeos chegarem em casa, qual foi a maior dificuldade?
- Depois de ter passado todo o tempo no hospital com eles, chegamos super adaptados (eu, que nunca tinha trocado uma fralda antes, cheguei muito segura e com muita prática). A maior dificuldade foi lidar com os momentos em que eu estava com um no colo, por exemplo, amentando, enquanto o outro chorava por um motivo. Claro que sempre tinha alguém para ajudar, mas eu como mãe queria poder atender os dois, isso me frustava as vezes.


Conseguiu amamentar os dois e ate quando?
- Sim, até 5 meses e meio, mas precisei dar complemento. Depois, voltei a trabalhar e não consegui manter a amamentação.


Você consegue cuidar de tudo sozinha ou pede ajuda?
- Sempre tive valiosas ajudas. O primeiro mês deles em casa, meu marido precisou trabalhar, e minha sogra, minha cunhada e minha irmã se revezavam nas madrugadas para ajudar um ou outro, mas sempre fiz questão de fazer tudo sozinha quando podia - trocar fraldas, dar banho, mamadeira. Queria proporciona aos dois os mesmos cuidados e dedicação, e isso pra mim, era muito importante. Hoje já  não preciso de tanta ajuda, mas sempre tem alguém para dar uma mão. Como agradecimento, tenho que citar minha mãe e meu pai, meus braços direito e esquerdo e, não menos, minha sogra, que está sempre pronta para nos ajudar.


Qual o carrinho comprou?
- Comprei dois carrinhos individuais, pois não senti necessidade de sair sozinha. Em casa, sempre usei muito para fazer as crianças dormirem durante o dia, o que facilitava retirar um, enquanto o outro ficava, por exemplo, na sala. Na rua, sempre tive companhia e só fui sair sozinha com eles depois do primeiro ano (geralmente para fazer compras no supermercado).


Como os gêmeos são?
- Eles são muito tranquilos, amáveis e com personalidades bem diferente. A Carolina é mais "independente", determinada, o Raul já é mais apegado e mais cauteloso também. Ambos são fáceis de negociar quando é preciso. Entre eles, podemos perceber o quanto se amam e o quanto são ligados um ao outro. Sempre juntos, um não perde o outro de vista, mas sabem ficar separados quando é preciso, por exemplo, quando um está doente e não pode ir à escolinha, o outro entende e vai tranquilo.


Rotina, você é a favor ou contra?
- Sou totalmente a favor da rotina. Isso ajuda muito! Os meus têm hora pra acordar, dormir, tomar banho, comer. Nos finais de semana dou uma relaxada até para fazer algo diferente e eles curtirem também essas mudanças, mas os hábitos mais comuns continuam, vão para cama cedo e, consequentemente, acordam cedo também. Eventualmente eles dormem tarde, mas para isso precisam tirar um soninho durante o dia, preferencialmente à tarde, para aguentarem.


Sua auto estima, como ficou depois de mãe de Gemelares?
- Sempre estive com minha auto estima elevada (tirando um ou outro dia, que é normal). Mesmo com tantas coisas pra fazer, sempre procurei me cuidar, manter o cabelo ajeitado, ficar em forma, me pintar para trabalhar, me vestir bem. Isso nunca foi problema pra mim, mas claro, é tudo corrido - banho, creme no corpo (quando dá tempo), rs. De manhã, quando levanto, enquanto eles ficam brincando, eu me arrumo, entre um colo e outro, vou fazendo. Só ainda não consegui retomar às atividades físicas, pois meu único tempo é ao meio dia, intervalo do almoço. Como neste ano me sinto muito mais disposta, em função de ter melhores noites de sono, pretendo retomar a academia. Essa é uma das minhas metas para 2012.

O papai ajuda?
- Sim, sempre ajudou na medida que podia - dava banho, trocava fralda, nos acompanhava às consultas periódicas e até hoje, às vezes toma banho com eles. Sempre trabalhou muito, principalmente no computador, durante a madrugada, e acabava dormindo tarde. Então, para poupa-lo, tentava me virar à noite, e sempre consegui bem. Hoje, ele não mora mais conosco, porque nos separamos, mas ele está sempre presente, lá em casa, e também fica com as crianças até a hora de irem para a escolinha no meio da manhã. É um pai apaixonado por seus filhos, que brinca muito e tenta estar sempre presente. Eles amam o pai!

Algum segredo?
- A sensação que tive, logo que eles nasceram, era que sempre tive filhos gêmeos. Incrível, mas era o que sentia. Nunca fui de me desesperar em nenhuma hipótese, por choro, febre, cólica (com exceção de uma crise de convulsão febril  da Carolina, quando fiquei muito mal e preocupada mesmo). Sou uma mãe tranquila, dedicada, gosto de ficar com eles sempre pertinho (sinto muita falta por ficar fora o dia todo, já que trabalho), sou muito paciente e também gosto de negociar as coisas com eles. Acho que a maior segredo é tentar se organizar, fazer tudo "meio junto", banho, comida e o que mais for preciso para ganhar tempo.

Um conselho para as Mamães Gemelares?
- Acho que o mais importante é saber lidar com a rotina. Outro ponto é ler sobre o desenvolvimento das crianças, para entender um pouco melhor como se dá cada fase, e não ser pega de surpresa. Criança é tudo igual, tem noites mal dormidas, tem febre, birras, viroses, manhas (imaginem isso tudo dobrado, quando se tem gêmeos). Junto, vem uma mãe estressada, cansada e por vezes se sentindo culpada, ou porque o filho adoeceu, ou porque acabou "brigando" com ele por algum motivo. Quando nos informamos sobre a forma de lidar com as situações, tudo se torna mais fácil. O mais importante é ter paciência e saber que fases difíceis existem, mas passam, e se tivermos consciência disso e lidarmos com tranquilidade, será melhor para enfrentá-las. Por fim, a mais importante: se tiveres como pedir ajuda, peça! Claro que é possível criar dois ou três sozinha (e admiro muito quem faz), mas tenho certeza que quando temos alguém para ajudar, seja com a casa, roupas ou mesmo as crianças, a qualidade de vida melhora para todos, com certeza.

Ser mãe de gêmeos é?
- Acho que é uma benção, é para aquela mulher escolhida a dedo por Deus. Eu sou meio suspeita para falar, porque sou o tipo de mãe que romantiza muito a maternidade, porque é a forma como a enxergo (sei que muitas mulheres criticam essa forma de ver a maternidade, mas para mim é assim, talvez porque meus filhos realmente não dão motivos para ser diferente). Eu os curto muito, aproveito mesmo, dou atenção e acho que por isso eles são como são, duas crianças incrivelmente maravilhosas, amáveis, com suas dificuldades sim, porque têm apenas 2 anos, mas que me fazem muito feliz a cada cena que vejo, os dois se abraçando, negociando brinquedos, disputando algo, aprendendo e descobrindo coisas juntos, mas, acima de tudo, sendo super irmãos um para o outro, além, é claro, dos carinhos e beijinhos comigo.

Ser mãe de gêmeos para mim é ser duplamente abençoada!

E aí mamães gostaram?!
Eu amei e aprendi com a mamãe Renata!

Renata, seja sempre bem vinda ao Gemelares!


Querem conhecer quais foram as mamães que já passaram pela coluna "Mamãe Responde", cliquem aqui!

Hoje foi a Renata Cossenttin, a próxima pode ser o você! Clique aqui e me envie seu e-mail ou msn que entrarei em contato.







Categorias:
Comentrios
1 Comentrios

1 comentrio:

  1. ADORO A RENATA... E olha que eu tenho um só, e ela nunca deixou a minha peteca cair... Mesmo na sua correria do dia a dia, ela sempre tem um tempinho pras amigas e dá aquela força, com palavras carinhosas e muito incentivo... A meta dela??? é que a maternidade seja 100% romântica para todas as mamães da face da terra né, Rê...
    Beijos e continue sempre assim, plantando essa semente pelo mundo...

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita em breve retribuirei!

Blogroll - Mães Blogueiras

Inscreva-se:  

Decoração

Receitas

Vida de Mãe

 
Pin It button on image hover