Caixa de busca

Últimas matérias

Familia Gemelares da Semana - Por Michele Marques

s 10:01

Deus nos conhece profundamente, e realiza os nossos sonhos!!! Assim aconteceu com a mamãe Michele Marques, desde menina ela tinha um lindo e perfeito sonho, Deus realizou da forma mais linda e emocionante, ainda provou que ele é Deus e que com Ele tudo pode e tudo acontece, conheçam hoje essa emocionante família.

É com você Michele:



Casada, mãe do João Pedro, Bianca e do Guilherme. Como tantas , sempre sonhei em ser mãe (era daquelas que quando criança colocava pano na barriga pra fingir barrigão!!! rs), mas adiei um pouco para engravidar por diversos motivos: estudos, compra de casa, objetivos profissionais e até mesmo uma promoção muito da bem vinda!! rs. Até que perdi uma tia em meados de 2008, uma pessoa queria demais. Ela faleceu muito jovem e tudo aconteceu muito rápido. Foi aí que percebi que todos estamos sujeitos a isso e que seria injusto privar meus pais que eram doidos para ter netos de ter um, e o tal “sininho” tocou, estava na hora de ser mãe, de realizar este sonho.

Começamos efetivamente as tentativas em Julho/2008. Achei que engravidaria rápido,  no máximo 3 meses depois de parar a pílula. Doce ilusão. Foi aí que mergulhei no mundo de fóruns e internet, pesquisando técnicas, formas de analisar o corpo, dicas e afins. Comecei a fazer tabelinha, anotar período fértil, perceber dorzinha de ovulação e... nada! Comprei um Ovatel, via infinitas e lindas samambaias,  continuei treinos dia sim dia não, todos os dias, ficava de pernas para o ar, media temperatura,  muco elástico... e NADA!  Mas confesso que no fundo eu sabia que tinha algum problema. Sabia que seria importante meu marido fazer um espermograma. Ele enrolou um pouco, mas prometeu que se em Outubro não acontecesse, iria procurar um Urologista.

E assim foi. Achamos um em Guarulhos que deu a guia do exame. Quando peguei o resultado quase despenquei. A situação era bem feia, 6 milhões de espermatozóides, metade amorfo a outra metade imóveis. Neste tempo, fui no meu antigo GO desesperada para tirar algumas dúvidas e talvez verificar se o problema também era comigo.... e então ouvi dele algo nada animador, mas realista: “na verdade com este espermograma seu marido não engravida VOCÊ, ele não engravida ninguém”.  Novo espermograma, com 5 dias de abstinência, resultado de 12 milhões, mais da metade amorfo, outra parte imóveis. Outros exames foram solicitados que não deixaram dúvidas,  naturalmente seria impossível, ainda que eu ficasse de ponta cabeça! Nosso caminho teria que ser a ICSI, porque uma FIV normal não seria suficiente... já que eles não se movem!!!

Por indicação de uma grande amiga marcamos uma consulta com um especialista em reprodução assistida. E lá fomos, com todos os exames e esperança,  ele começou a falar das probabilidades e então ele falou a frase que eu jamais vou esquecer. Pode ser algo que ele diz a todas, mas aquilo me atingiu , atingiu meu coração. “A Michele quando era pequena, não sabia se seria médica, astronauta, professora ou dentista. Mas ela sabia que quando crescer se casaria e seria mãe”. Era exatamente isso! Sempre sonhei em ver um teste positivo, sentir bebê mexer, em ter dúvida se é menino ou menina, ter o barrigão, ter um parto!

Ele também disse que nossas chances eram excelentes pela minha idade (tinha 29 anos), mas que sucesso de tratamento é bebê no colo. E isso ele repetiu durante todo o tempo. Além disso me deu uma tabela com as prováveis datas. E aquela folha de sulfite simplesmente tornou o meu sonho próximo. Tornou meu sonho tão possível diante meus olhos!

Foi uma loucura. Sogra emprestou uma parte do dinheiro, meu irmão outra e para comprar os medicamentos peguei empréstimo consignado na empresa. Avisei meu chefe do tratamento e minha equipe também. Achei melhor jogar aberto, afinal me ausentaria bastante, chegaria tarde e claro, estaria mais ansiosa.

O tratamento foi doloroso, injeções subcutâneas, exames de sangue diários para verificar taxa de hormônios, e também bem cansativo, pois tinha que realizar US (trans) dia sim, dia não. O que não era fácil, já que moramos em Guarulhos e a clínica fica ao lado do Parque do Ibirapuera. Para quem conhece SP deve imaginar a loucura que é atravessar a cidade no horário de pico da manhã... e no meu caso, voltar tudo de novo para Guarulhos, onde trabalho. Mas não reclamei... fazia parte! Pela graça de Deus e Nossa Senhora, comecei a ter excelente resposta ao medicamento.

No dia da transferência dos embriões chegamos na clínica e fomos para sala, marido pode assistir. Pelo médico teríamos implantado 1 embrião, as chances eram boas, mas quem pensava nisso? As chances seriam aumentadas se transferíssemos 2. E foi assim. Mesmo o médico perguntando umas 10 vezes antes se queríamos um ou dois, um ou dois. 
Marido do meu ladinho, toda a equipe falando de quanto o tratamento tinha sido perfeito e neste momento agradeci à Deus, então foi feita US para localizar direitinho o local da implantação e nós dois assistimos tudo pelo monitor. Dr. colocou o cateter e falou os números dos embriões e lá veio a embriologista com um outro cateter, com os embriões na ponta. Este então foi inserido e vimos aquele pontinho branco se movendo, subindo, subindo e pronto, já foi. um momento único! 

Monitor congelado e lá estava aquele pontinho branco no meu útero na tela, quando o médico solta: "A sorte está lançada”. Não aguentei... desabei!!! Chorei, chorei demais!!!! Por pura emoção. Todo mundo se emocionou comigo, rs.  E aí começaram os 12 dias mais longos da minha vida!!! Peguei 7 dias de afastamento do trabalho e me refugiei na casa dos meus pais. Fiquei 3 dias em absoluto repouso. Levantava para ir ao banheiro e para comer, só. Voltei para minha casa no 4 dia e continuei em repouso, mas já comecei a dirigir e voltar aos poucos na rotina. Evitei e ainda evito subir e descer escadas e pegar peso. Voltei a trabalhar,  procurei todos os tipos possíveis de sintomas, mas eles se confundiam a reações do tratamento com tantos hormônios.. seios inchados, cólicas, fisgadas lá embaixo, azia.

Então chegou o dia do Beta! E vou dizer, foi uma loucura achar o laboratório que entregasse o resultado no mesmo dia. E achei um... foi uma infeliz escolha, mas enfim, infeliz porque o resultado que deveria sair às 17h só sairia no dia seguinte às 11:30 após muita briga e ameaças. Mas e daí?!?!?!?! Quando o apareceu o resultado na tela, nada mais importava, por um momento fui ao céu e voltei, estava lá... 217,28 mIU/ml, a referência falava que acima de 25 era gravidez... então, eu estava MUIIITOOO GRÁVIDA!!!!!!

Já não chorava, apenas  ria, sorria e agradecia, aos amigos que parabenizavam e novamente à Deus e Nossa Senhora, por ter me dado a oportunidade de fazer este tratamento com o médico e equipe que achei adequados, por ter tantas pessoas torcendo por mim e por finalmente estar vivendo aquele momento.

O primeiro US foi agendado para dali 2 semanas. Chegamos cheios de ansiedade, medo, alegria...  Foi quando descobrimos que não teríamos um bebê, mas dois!!!!!!!!! Afinal após ler tantos relatos, fui com os pés bem no chão, sabendo que com sorte veria alguma coisa, mas provavelmente só veria os sacos gestacionais, mas que nada, vimos os dois sacos gestacionais, tudo perfeitinho e até ouvimos os corações!!!!

Com 16 semanas descobrimos que teríamos um casal, João Pedro e Bianca. Com 34 semanas o maior susto de todos... a bolsa se rompeu às 22h do dia 15/12/09. Fomos para o hospital correndo e às 2:01 do dia 16/12 ouvi o primeiro choro mais lindo do mundo, era Bianca que chegava ao mundo com 2.300 Kg... às 2:02 nascia João Pedro com 1.900 Kg, mas eu não ouvi choro, me desesperei, perguntava ao meu marido que também estava meio atordoado, mas em poucos segundos (que me pareceram eternos) ouvi o segundo choro, um som perfeito! 
Ambos ficaram na UTI por uma semana, para ganhar peso mesmo. Mas para 34 semanas nasceram super bem.



Bom... se não bastasse tudo isso, quando eles completaram 1 ano recebi a maior surpresa de todas! Eu, que não engravidaria naturalmente nem de ponta cabeça estava esperando mais um presentinho de Deus. Confesso que chorei, de puro desespero! Pensei que iria morrer, nem sei explicar, me faltava ar! Não tinha vontade de fazer nada!!!!

Pedi perdão à Deus por tudo isso no dia 19/09/11, quando nasceu Guilherme, um bebezinho MEGA simpático, super sorridente, tão bonzinho!!! Uma dádiva mesmo, que chegou para completar nossa família e felicidade.




Nem preciso dizer que fiz laqueadura e fechei a fábrica, chega de povoar o mundo, né?!?!?! rs



A Michele Marques também é blogueira, ela escreve junto com a Mari o TCHATCHARANDO, um blog super descolado, lá tem tudo sobre moda, unhas, acessórios e tudo mais, conheça clicando
aqui.

Michele, obrigada pelo relato e pela confiança!!!

Se você se emocionou como eu, deixe um recadinho nos comentários para a Michele, ela vai amar saber que você  passou por aqui para prestigia-la!!


E aí, gostaram do 7º relato da Família Gemelares da Semana?

Quer conhecer qual foi as famílias que já passaram pela coluna da Família Gemelares da Semana clique aqui !

Hoje foi o da Michele Marques, o próximo pode ser o seu! Clique aqui e envie seu e-mail ou msn que entrarei em contato.



Comentrios
7 Comentrios

7 COMENTÁRIOS:

  1. Nossa que história LINDA...de superação, conquistas,desejos, anseios e o melhor a realização de um grande sonho...Parabéns mulher guerreira.

    ResponderExcluir
  2. Linda história Michele, não tem como não chorar e se emocionar, Deus é maravilhosoooo!!!!!

    Bjsss
    Elaine Fernandes

    ResponderExcluir
  3. Mi, a conheço virtual faz um tempinho, quando preparava pra se casar numa comunidade de noivas, passou-se o tempo voltamos a manter contato novamente por conta dos nossos destinos lindos e maravilhosos a gravidez gemelar. Mi é linda e emocionante sua historia, vejo em você muita fibra, garra e determinação, desejo sempre o melhor em tudo pra ti e sua linda família. Impossível não se emocionar, em alguns pontos nossa historia é parecida. Beijosss

    ResponderExcluir
  4. Mi...nem preciso dizer que chorei quando li sua história né??? simplesmente linda como vc e sua família!!!! bjks

    ResponderExcluir
  5. Linda esta história!Isto tudo é Fé em Deus em enfrentar todos os obstáculos. Felicidades para esta família!

    ResponderExcluir
  6. Linda história, como Deus é maravilhoso, parabéns pela família Michele. bjs á todas.

    ResponderExcluir
  7. Que bom que gostaram!!!!! Agradeço muito à Ju pelo convite!!!! Beijos!!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita em breve retribuirei!

Blogroll - Mães Blogueiras

Inscreva-se:  

Decoração

Receitas

Vida de Mãe

 
Pin It button on image hover